Falcoaria Online

Unboxing- “Petisqueira” do artesão Cetreria Nazca

DSCN1337

 

A “Petisqueira” ou o Porta Picado é um compartimento onde carregamos pedaços de alimentos que utilizamos para treinar as aves, ele pode ser um bolso no colete, um saquinho plastico no bolso ou, como fez o Artesão Tiago da Cetreria Nazca, uma pequena bolsa que pode ser presa a cintura ou levada dentro do colete e bolsa.

Feita de Nobuk ou Couro e costuras bem feitas, a “petisqueira” apresenta uma forma agradável e prática para a utilização em campo, possui duas formas de prender, uma é com um passador feito com um botão para fixar ou tirar de forma rápida do cinto, outra é com um grampo que pode ser preso a alça de uma bolsa ou mesmo no passador da calça. Leia Mais

VOCÊ QUER REALMENTE TORNAR-SE UM FALCOEIRO?

O Falcoeiro Juscelino Luís realizando o exercpicio de Lure-fly com Rá, o falcão.

O Falcoeiro Juscelino Luís com Rá, o falcão-de-coleira. Foto de Fernando Icaro

Você pode ter lido recentemente sobre esta antiga arte em um livro ou visto sobre o assunto através da televisão e rádio, talvez um filme, ou pode ter visto um falcão treinado em ação. Seja qual for o caso, você obviamente ficou impressionado o suficiente para querer saber mais sobre o esporte da falcoaria, e nós apreciamos seu interesse.

Poucas pessoas entendem quanto esforço e tempo é necessário para voar e treinar aves de rapina com qualidade, mantendo sua saúde em dia e praticando tudo dentro da lei e ética. Menos ainda estão dispostos a fazer os sacrifícios necessários.

  • Você possui tempo?


Falcoaria não é uma conquista de “fim de noite” Torna-se um falcoeiro aquele que estudou e se dedica a pratica de forma correta, procura associações ou falcoeiros experientes para o aprendizado. Seu falcão ou gavião requer uma quantidade significativa de tempo, todos os dias, 365 dias por ano, e uma filhote exige muito mais tempo. Rapinantes, ao contrário de um cão, necessitam de manejo constante e de conhecimento . Você pode conviver com este compromisso de tempo, mas e sua família está ciente disso? Seus filhos? Seu trabalho? Leia Mais

Controle de fauna (pombos, pardais e outras especies) com a utilização da falcoaria!

 

A técnica de Falcoaria tem gerado resultados satisfatórios em controle de fauna na França e Espanha (Enrique, 2004), assim como no Brasil . Na Espanha esta atividade foi iniciada em 1968 como uma forma experimental na Base Aérea de Torrejón de Ardoz e desde 1970.

A utilização da falcoaria para controle de fauna, tem seu fundamento na relação espontânea das presas ocorrentes no local perante seu “inimigo” natural, abandonando aqueles territórios onde exista a presença frequente de seu respectivo predador. A presença periódica dos predadores em atividade de caça, facilmente perceptível, é eficaz no afugentamento de espécies problemas como o pardais, andorinhas, pombos e outras especies. Leia Mais

Ave achada não é roubada?

I – Introdução.

Não são raros os casos em que aves de falcoaria são perdidas, afinal, esta é uma das regras do jogo. A partir do momento em que ela é solta para o voo livre, você não tem mais controle sobre o que pode acontecer. Qualquer idéia contrária a isso seria um sonho de criança.

Bruno Silveira, durante demonstração com gavião-asa-de-telha, no Festival Internacional de Falcoaria em Abu Dhabi/UAE

Bruno Silveira, durante demonstração de voo livre com gavião-asa-de-telha, no Festival Internacional de Falcoaria em Abu Dhabi/UAE

Hoje cedo me perguntaram o seguinte: uma pessoa que encontrasse uma ave de falcoaria, devidamente legalizada e proveniente de um criadouro autorizado, seria obrigado a devolvê-la ao proprietário?

A resposta nós veremos mais à frente.

II – Como o seu animal regularmente comprado de um criador é considerado no mundo do direito.

Deusa Têmis - Guardiã dos Julgamentos e da Lei.

Deusa Têmis – Guardiã dos Julgamentos e da Lei.

Conforme tive o prazer de palestrar nos cursos de introdução à falcoaria ministrados pela ABFPAR – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FALCOEIROS E PRESERVAÇÃO DE AVES DE RAPINA, a ave de rapina comprada perante um criadouro autorizado pelo órgão ambiental competente, tem a natureza jurídica de BEM SEMOVENTE.

Ou seja, é um bem de sua propriedade que detém o poder próprio de locomoção, conforme determina o art. 82 do nosso Código Civil, estando regulado no campo do direito das coisas.

III- E quanto as aves de rapina de vida livre?

            Estas são de propriedade da União Federal e tem sua posse, captura ou apanha proibida pelo particular (salvo em caso de autorização expressa do órgão ambiental), nos  termos do art. 1º da Lei  5.197/67, que diz o seguinte: Leia Mais

Do recebimento ao voo livre de um falcão-de-coleira.

Do recebimento ao voo livre de um falcão-de-coleira(Falco femoralis), treinado para a prática da falcoaria.

“nem todos nasceram para se alegrar a voar conosco, também não é de todos o saber e o poder fazer” (Francisco D’arcussia, falcoeiro do século XVI)

Inicialmente para quem não me conhece, me chamo Bruno Silveira e sou Diretor Secretário da ABFPAR – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FALCOEIROS E PRESERVAÇÃO DE AVES DE RAPINA, membro do falcoaria online desde 16/05/2013 quando fiz o meu registro e logo em seguida começar o diário do meu Falco sparverius (Cronus), muito embora acessasse o site desde 2012. Sou também membro conselheiro do BH Hawking Club, Membro da APF –Associação Portuguesa de Falcoaria e membro da ABRASE. Minha iniciação prática na falcoaria se deu no começo de 2013 junto ao falcoeiro Milton Mello, antigo presidente da ABFPAR, ao qual tive o prazer de acompanhar em campo por quase um ano.

I – O que é falcoaria?

www.unesco.org.br

www.unesco.org.br

Define-se como falcoaria a arte  milenar reconhecida como patrimônio imaterial da humanidade pela UNESCO, de treinar aves de rapina (águias, gaviões, falcões e corujas), para a finalidade de caça. Qualquer outra situação que não seja esta, não se pode considerar como falcoaria e sim o adestramento da ave em questão com técnicas desta.

Falar de falcoaria hoje significa também falar de uma modalidade de caça de baixo rendimento, já que a sua prática não conduz a abates massivos, nem compromete a conservação das espécies ou o equilíbrio natural principalmente pelo fato de presa e predador terem evoluídos juntos (uma com aprimoramento de técnicas furtivas a predação e  o outro com a especialização das suas técnicas de captura).  Por tratar-se de um esporte, “- em falcoaria cultiva-se o respeito pela presa e dá-se primazia pela qualidade do lance relativamente à quantidade de caça abatida” (Crespo, Carlos. A arte da falcoaria.Lisboa:Edições INAPA,1999)

Cabe aqui também falarmos que ao contrário do que muitos pensam, a prática da caça no brasil não é proibida e sim condicionada a uma autorização específica, já que a própria Lei de Crimes Ambientais (9605/98) assim preconiza no seu corpo:

“Art. 29. Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida:”

Art. 37. Não é crime o abate de animal, quando realizado:

(…)

IIpara proteger lavouras, pomares e rebanhos da ação predatória ou destruidora de animais, desde que legal e expressamente autorizado pela autoridade competente;

(…)

IV – por ser nocivo o animal, desde que assim caracterizado pelo órgão competente. Leia Mais

Pular para a barra de ferramentas